Fauna e Flora Locais

Toda a Serra do Montemuro é caracterizada por uma grande diversidade de espécies. A sua observação pode ser um ato de prazer que deve ser feita com cautela. Qualquer ida para a serra deve ser preparada antecipadamente e os visitantes devem ter alguns cuidados.

Aqui coexistem, gafanhotos, borboletas, aranhas, águias, perdizes, mochos, morcegos, rãs, lagartos-de-água, sardões, cobras, javalis, lobos, raposas, coelhos-bravos, lebres, toupeiras. Como se sabe, os animais selvagens atacam apenas se sentirem ameaçados. É entre as cobras que se encontra uma das maiores ameaças, pela existência da víbora cornuda, uma espécie venenosa que tende a afastar-se das pessoas mas que pode atacar quando se sente ameaçada (não se assuste que não se conhecem casos recentes de mordeduras provocadas por esta espécie). Mas não se menosprezem os javalis nem os lobos que se tiverem uma ninhada não hesitarão em protegê-la. Tenha em atenção que se encontra numa área protegida pelo que estas espécies encontram-se igualmente sob proteção.

Também ao nível da flora se destaca a presença das giestas, dos tojos, da carqueja, entre muitas outras. Os cogumelos são uma presença destacando-se os gasalhos, uma espécie comestível que faz parte das iguarias da cozinha da aldeia. Feitos grelhados em cima do fogão a lenha ou em cebolada, são um verdadeiro petisco que só presenteia os peritos na apanha da espécie “macrolepiota”. Há muitas espécies de cogumelos, alguns comestíveis, outros não – e com o cogumelo já se sabe que se forem venenosos só se experimentam uma vez. Não arrisque comer uma espécie que não conhece devidamente.

VOLTAR A “II. LOCAIS DE INTERESSE NA ALDEIA”